ANORGASMIA

É a dificuldade ou incapacidade de chegar ao orgasmo!

Para entendermos melhor isso precisamos saber que a vivência sexual ocorre em uma progressão de fases interligadas chamadas de fases da resposta sexual, são elas:

Desejo: o despertar da vontade de manter uma relação sexual.

Excitação: desencadeada pelo desejo é a fase de preparação para o ato sexual onde ocorrem associadas às sensações de prazer alterações corporais como: enrijecimento dos mamilos, aumento da lubrificação vaginal e etc.

Orgasmo: acontece após um período crescente de excitação chega-se ao pico máximo de prazer. Nessa fase ocorrem contrações da musculatura vaginal.

Resolução: relaxamento que acontece após o orgasmo. No homem ocorre nesta fase o momento refratário (intervalo necessário para outra ereção). Na mulher acontece esse período refratário, o que permite que a mulher mesmo após ter chegado ao orgasmo tenha uma nova fase de excitação e novos orgasmos.

Na anorgasmia a mulher sente o desejo, tem excitação, mas se mantém num platô da excitação sem chegar ao clímax que seria a fase do orgasmo. Muitas vezes isso ocorre por algum fator psicológico, ou por falta de conhecimento do próprio corpo ou inexperiência. Mas pode acontecer também por uma fraqueza da musculatura do assoalho pélvico.

A musculatura vaginal é rica em terminações nervosas que conferem sensibilidade a mesma. Durante a relação sexual há uma série de contrações que mantém o canal vaginal em contato com o pênis estimulando a região e dando prazer. Isso quando a musculatura está integra e forte. Com a musculatura fraca, o contato entre a vagina e o pênis diminui, diminuindo o estímulo da região o que dificulta a chegada ao orgasmo.

Algumas mulheres mesmo com uma boa força muscular podem não chegar ao orgasmo por via vaginal, mas apenas por estimulação do clitóris, isso é comum e perfeitamente normal! Acontece também de algumas mulheres até chegarem ao orgasmo, mas não entenderem que chegaram a este estágio, pois esperam uma sensação digna de cenas cinematográficas com mega efeitos especiais.

A experiência do orgasmo é diferente de mulher para mulher e vai depender do autoconhecimento, da relação com parceiro e da boa saúde física e mental!

Anúncios

9 respostas em “ANORGASMIA

  1. Oi Aline,
    primeiro quero ti cumprimentar pela palestra na orto pois não tive oportunidade no dia. Foi muito boa. E tbm pela sua monografia, achei na net e gostei muito. Trabalho original.
    Depois é que a anorgasmia está me perseguindo. tenho lido sobre isso e todo site que entro o primeiro link é esse.
    POis bem quero fazer um trabalho sobre esse tema mas, preciso de ajuda. Queria primeiro fazer uma revisão mas os artigos são poucos. Se vc tiver algum mesmo em inglês… O tema para estudo de campo seria: Avaliação da força do assoalho pelvico em mulhres cm anorgasmia. O que vc acha? É relevante? Me ajuda Aline!!

    • Oi Joseane, q bom q gostou da palestra e da monografia! Realmente é difícil achar estudos sobre disfunção sexual feminina infelizmente! Ainda é um tema bem delicado de se tratar… além de mtas mulheres n saberem q tem, poucas admitem o problema e procuram ajuda! Talvez vc tenha dificuldade p achar uma amostra significativa para sua pesquisa… mas acho q pode trabalhar nesse tema de outras maneiras! Há mta coisa p explorar! Vá fundo, estude mt e mão na massa! Vou procurar artigos p te mandar! Se precisar de mim entre em contato por email alinemanta@gmail.com.

      bjssssss

      • Oi Aline,
        vc acha que as mulheres que vc atende topariam fazer? Um teste de força do assoalho pélvico? Se não vc conhece algum lugar?
        Já fui na Apae falar com Keite Orrico e lá não pode…no HUPEs foi proibido para pessoas que são de fora.
        Tá dificil!
        abraço!

  2. Aline,
    eu não tenho experiência nenhuma com uro mas, gostaria de fazer um estagio voluntário nessa área. Se você souber de algum lugar que aceite me avisa.
    grata!!

  3. Como se pode promover o fortalecimento da musculatura pélvica? Somente com o auxílio de um fisioterapeuta ou com exercícios possíveis de serem praticados em casa? No primeiro caso, onde buscar auxílio no Rio de Janeiro?
    Att.

    • Oi Adriana! Exercícios domiciliares podem ajudar a prevenir muitas disfunções do assoalho pelvico!Vc pode fz exercicios de contração e relaxamento da musculatura, contrações tanto rápidas qt sustentadas! Se vc já tiver alguma dificuldade ou desconfia que está apresentando alguma disfunção o ideal é procurar auxílio de um fisioterapeuta que irá te avaliar e verificar qual a sua necessidade! Mandarei indicações de Fisioterapeutas que atuam no RJ para seu email! Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s